Saiba como sua operadora pode melhorar o IDSS

Postado em 10 de maio de 2021 às 18:57
melhorar idss

Todos os anos, as operadoras ficam no aguardo para receber a nota do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS), avaliação feita pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Para chegar ao resultado, são analisados diversos quesitos, incluindo questões assistenciais, de gestão e comunicação. Mas você sabe como melhorar o IDSS?

Com certeza esse é o questionamento que muitos gestores e analistas já fizeram, mas vale ressaltar que, para receber uma boa classificação, é fundamental averiguar quais processos precisam mudar dentro da operadora.

Alguns indicativos sofreram mudanças por conta da pandemia causada pela Covid-19, já que agora os atendimentos de telemedicina devem ser incluídos nas guias TISS, assim como procedimentos presenciais. 

Por isso, aproveite para conferir o conteúdo completo e saiba como melhorar o IDSS. Vamos lá!

Como melhorar o IDSS? 

Essa é uma das dúvidas mais persistentes para as equipes que estão à frente do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar nas operadoras. Isso porque receber um resultado pouco satisfatório pode influenciar em diversos quesitos, seja na conquista de novos clientes ou até mesmo no desempenho das atividades dos colaboradores.  

O IDSS pode ser melhorado quando a operadora de saúde estiver empenhada em ações conjuntas e contínuas, por meio de uma equipe multidisciplinar e multidepartamental, ou seja, com todos aqueles que estão envolvidos no processo. 

A evolução não é algo que ocorre alterando apenas algumas atividades ou abordagens. É imprescindível que as mudanças aconteçam de forma coletiva, abarcando até a alta gestão. Confira algumas dicas que podem melhorar o resultado do índice da sua operadora:

Crie um comitê para  gestão dos indicadores

Uma das principais dicas é a formação de um comitê dedicado à gestão dos indicadores, incluindo  a conscientização sobre a aderência ao Padrão TISS nos processos internos e promovendo adequações para atingir a conformidade. 

É recomendado que o comitê seja formado por colaboradores de diferentes áreas da instituição, afinal, nenhum setor conseguirá  implementar sozinho as melhorias necessárias para o bom desempenho. Contudo, é interessante que esse comitê tenha um líder, ou seja, um coordenador de todo o projeto para puxar as ações. 

Também é importante ter o respaldo da alta direção para que o comitê possa interagir com as áreas de negócio, principalmente com os profissionais operacionais.

Dedique-se  à comunicação com os prestadores

Ter uma comunicação ativa com os prestadores de serviços e parceiros é a base para todas as outras ações. A proximidade auxilia na identificação de possíveis erros e/ou dúvidas que possam surgir. Manter todos os profissionais informados é uma das melhores maneiras de assegurar que os prazos e atividades sejam seguidos.

Por exemplo, durante o atendimento ou serviço que é oferecido ao beneficiário, é fundamental que exista o preenchimento e a descrição correta na guia. Isso facilita o processo de faturamento das operadoras e a avaliação da ANS. Para que isso ocorra, o profissional deve estar ciente das diretrizes. 

Nos casos em que a operadora identifica erros, o material deve ser encaminhado para o parceiro ou prestador, com o objetivo de corrigir as informações. Mesmo quando a assistência não é realizada dentro da operadora, é imprescindível que a rede de atendimento esteja orientada sobre o preenchimento dos documentos e a importância de fazer o passo a passo de acordo com o padrão. 

Invista na qualidade das informações

A qualidade da informação também é algo importante e que deve estar de acordo com o que é esperado pela ANS. Assim como outras áreas de trabalho, na saúde dados corretos podem auxiliar no cuidado com o beneficiário e na resolução de diversas situações. 

Desde o começo, a equipe responsável por realizar o levantamento deve priorizar números confiáveis e que expressem o dia a dia da assistência. Dessa forma, é possível atuar com informações de qualidade. 

O maior erro é deixar de  fazer o tratamento dos dados desde o início do processo e não se preocupar com a validação. Por exemplo, conferir se os dados de determinado indicador estão batendo com os dados de um indicador que o complementa. No geral, a pergunta que o analista deve fazer é: essa informação faz sentido? 

O objetivo aqui é minimizar questões que possam influenciar na credibilidade ou até mesmo na veracidade dos indicadores. 

Leia também: O que é IDSS? Entenda o Programa de Qualificação de Operadoras da ANS

Ajuste processos internos e parametrize os sistemas de gestão

Os processos internos e os sistemas de gestão da informação estão ligados ao sucesso da operadora. Quando há definição e mapeamento do processo de atendimento e até mesmo no tratamento dos dados, fica mais fácil observar o que está indo bem e quais pontos precisam de melhoria. 

Em uma área como a saúde suplementar, isso faz muita diferença. A operadora que segue as regulações da ANS e tem os processos de acordo com o Padrão TISS,  é capaz de identificar seus pontos fortes e fracos. 

Portanto, invista na revisão contínua dos processos e na parametrização do sistema de gestão que é usado para cadastrar beneficiários, receber, processar e pagar as guias dos prestadores, gerar e cobrar as mensalidades. Quanto mais otimizados os processos, respeitando as regras do setor, maior a agilidade e menores os custos operacionais. 

Caso sinta necessidade, é possível contar com um software especializado que auxilie os colaboradores nessa tarefa. O Gestor IDSS é capaz de complementar e indicar quais as parametrizações precisam ser ajustadas no sistema de gestão utilizado pela operadora. 

O objetivo de tudo é direcionar os colaboradores para o que realmente deve ser feito com excelência: o cuidado com o beneficiário e a análise das informações que compõem o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar. 

Dimensione a rede assistencial alinhada às diretrizes do IDSS

Para conseguir melhorar o IDSS, é fundamental que todas as equipes estejam alinhadas. Entretanto, existe um time que acaba sendo ainda mais visado por atuar diretamente com o objetivo da operadora: os profissionais da assistência. 

De acordo com o Programa de Qualificação das Operadoras, o intuito é que a operadora não atue apenas nos casos de urgência e emergência, mas como agente na transformação da saúde, mostrando para os beneficiários que a promoção e a prevenção são primordiais, incluindo nessa diretriz a atenção primária. 

Afinal, quando temos uma população informada sobre os cuidados básicos com a saúde, fica mais fácil trabalhar os casos antes de atingir um estado crítico. Quem fica responsável por essa transformação é a equipe de assistência, que orienta e indica profissionais de saúde especializados para a resolução das necessidades dos beneficiários. 

Desse modo, vale lembrar que o atendimento e a satisfação do usuário também são critérios que contam para o IDSS, bem como a promoção de campanhas e programas.  

Engaje outras áreas 

Essa é uma das ações mais importantes para melhorar o IDSS. Os colaboradores devem estar engajados com o resultado do índice, pois só assim as equipes estarão empenhadas em fazer o melhor trabalho. 

Estimular a conscientização dos colaboradores, evidenciando como as ações de cada um podem fazer a diferença, integra esse movimento. O próprio comitê de gestão dos indicadores pode tomar a frente nessa comunicação, promovendo reuniões entre setores dentro da operadora, a fim de explicar e incentivar atividades conjuntas. 

Sistema para qualificação de dados TISS

Como foi citado,  a validação dos dados é uma prática recomendada, mas que pode consumir muito tempo da equipe. Ter um sistema especializado que seja capaz de otimizar essa tarefa e ainda fornecer relatórios,  simular a nota do IDSS antes do envio de dados à ANS (Monitoramento TISS),  entre outros recursos, pode ser uma alternativa bastante viável para a operadora que deseja evoluir para um desempenho de excelência. 

O Gestor IDSS é o software capaz de oferecer essas vantagens e, consequentemente,  auxiliar a sua equipe a lidar com o IDSS. Nossa ferramenta é focada na qualificação dos dados e na avaliação estratégica dos indicadores que compõem o índice da ANS. 

Quer saber mais? Então aproveite para entrar em contato com um dos especialistas da Blendus e tenha mais detalhes!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

*

Whatsapp